Dragagem do Rio das Antas, em andamento, terá mais 2.000 horas

Dragagem do Rio das Antas, em andamento, terá mais 2.000 horas


Publicado em: 10/04/2018 17:24

Whatsapp

 

Dragagem do Rio das Antas, em andamento, terá mais 2.000 horas

A prefeitura contratou, após processo de licitação, mais 2.000 horas de dragagem do Rio das Antas, que já está em andamento desde o último sábado (07). A nova etapa, das primeiras 1.000 horas, vem sendo efetuada com uma escavadeira hidráulica e, quando necessário, apoio de equipamentos próprios do município.

O trabalho está evoluindo no sentido Vila Nova, rumo ao Dallegrave, subindo em direção ao centro da cidade. “A ideia é refazer toda a drenagem do Rio das Antas na área urbana. Obviamente precisaremos de mais horas de trabalho, mas todos os procedimentos já efetuados, em andamento, ou previstos em nosso cronograma, visam salvaguardar a população de eventuais alagamentos, sempre preocupantes e motivos de transtornos”, diz o secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Dagoberto Waydzik. Há estudos para que este tipo de adequação prossiga até o Bairro Fósforo.

“Estamos continuando um trabalho iniciado em 2017, de limpeza e alargamento do Rio das Antas, que faz parte de um conjunto de medidas para evitar alagamentos dentro da cidade de Irati”, comenta o prefeito Jorge Derbli. Para ele, este precisa ser um trabalho permanente, mas não só o de limpeza. “Além da manutenção, o alargamento contribui para um escoamento maior de água, e todas estas medidas colaboram para diminuir problemas de alagamentos. Nos próximos dias iniciaremos um grande projeto no centro da cidade, que é o novo canal hídrico, e o Rio das Antas terá que estar preparado para receber todo o volume de água e com condições de desaguar fora da cidade”, concluiu o prefeito.

Outras providências amenizaram problemas

Além do serviço em andamento no momento, tanto no Rio das Antas, como Arroio dos Pereiras, outras providências já efetivadas auxiliaram de forma significativa para que problemas no centro da cidade fossem amenizados, e para que a água escoasse com mais rapidez.

Em agosto e setembro do ano passado, 3.708 metros do Rio das Antas foram dragados na extensão da ponte no Bairro Vila Nova até o viaduto na BR-277. No período, também o Arroio dos Pereiras recebeu limpeza, que voltou a receber intervenções em vários outros momentos, inclusive na semana passada.

Ainda em 2017, foi providenciado um canal hídrico dentro da propriedade da madeireira Dallegrave, após a rede ferroviária, com tubulações (manilhas) duplas de um metro de diâmetro, que ajudou a amenizar antigas inundações na Rua Marechal Floriano e imediações.

Limpeza em canal aberto do Arroio dos Pereiras

Desde a última sexta-feira (06) a Secretaria de Serviços Urbanos vem efetuando mais uma limpeza no Arroio dos Pereiras, desta vez em trecho que passa atrás da empresa Irabox, no centro da cidade.

Segundo o secretário de Serviços Urbanos, Pedro Eloirton dos Santos, “neste canal aberto do arroio, as equipes de trabalho procederam a limpeza de aproximadamente 40 metros lineares de leito e margens do curso de água”. Só neste segmento, com auxílio de uma escavadeira hidráulica e dois caminhões, foram removidas 38 cargas de detritos.

Esta intervenção é mais um dos procedimentos que vêm acontecendo em pontos específicos por onde passam os rios na área urbana, visando solucionar locais de estrangulamento do escoamento da água.

Há pontos, entretanto, que se tornam inacessíveis, a menos que sejam utilizados equipamentos exclusivos para a limpeza e remoção de detritos, que são as galerias subterrâneas.

De acordo com o secretário de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Dagoberto Waydzik, “apenas três empresas no Paraná possuem equipamentos apropriados para um trabalho eficiente e seguro neste sentido. É um sistema que pressuriza as galerias, provocando o deslocamento da sujeira e sugando este resíduo para o exterior”.

Contudo, este se tornaria um procedimento caro e inócuo, em razão da ampla obra do canal hídrico na Rua Carlos Thoms, extensão entre a Rua Munhoz da Rocha até a linha férrea, já assegurada, em projeto federal no valor de R$ 1.176.285,76.


Desenvolvido por: