Música homenageia aniversário de Irati e tradicional rodeio crioulo

Música homenageia aniversário de Irati e tradicional rodeio crioulo
Download pode ser feito no rodapé desta página

A composição musical “O Dia 15 de Julho”, do iratiense Gilson Rocha, lançada próximo ao aniversário de Irati, no ano passado, ganhou nova roupagem em 2018. No estilo tradicionalista gaúcho, a música foi disseminada rapidamente nas redes sociais em 2017 e, além de ganhar a simpatia do público ligado a este movimento cultural e cívico, agradou principalmente aos iratienses, por falar da data máxima do município.

Rocha fez questão de compor uma música com instrumental e letras típicos do estilo nativista, no ritmo gauchesco conhecido como “bugio”. A versão deste ano além de trazer o autor, Gilson Rocha, na voz e violões, e Alexandre Oconoski, o Xandão, no acordeom, foi regravada integralmente com acréscimo de bateria, percussão, vocalização e contrabaixo pela produtora Promix, do músico iratiense Rogério Menon, dando acabamento profissional à canção. Como aconteceu no ano passado, tudo foi feito em forma de colaboração espontânea, sem custo algum, e em caráter de homenagem ao município que completa 111 anos em julho.

No transcorrer da melodia, há ainda a música incidental “Balaio”, de autoria de Luiz Carlos Barbosa Lessa, folclorista, escritor, músico, advogado e historiador brasileiro, que participou intensivamente do processo de construção do movimento que registrou e difundiu a cultura gaúcha do homem do campo.

A música será distribuída às emissoras locais e estará em breve disponível no Facebook da Prefeitura.

Autor diz ter feito música sem nenhuma pretensão

Gilson Rocha comenta que fez a canção “O Dia 15 de Julho”, sem pretensão alguma e não esperava a repercussão positiva que a música alcançou. “Estou muito feliz em ter uma composição minha na playlist campeira dos iratienses”, diz o autor.

O compositor comenta que a ideia surgiu em maio do ano passado ao perceber que a cidade já estava se preparando para o rodeio e para as comemorações do aniversário. “Comentei com minha mãe, quando estávamos na rua, que a cidade ‘já está toda em festa’, e o resto da letra veio vindo aos poucos”, relata o músico.

A inspiração para compor um tema veio, segundo o autor, “enquanto participava do Festival Nacional de Arte e Tradição (FENART/MTG-RS), em Triunfo (RS) ”. Ele detalha que a letra fazia uma espécie de recepção aos tradicionalistas, e se sentia muito acolhido ao escutá-la todos os dias quando acordava dentro do acampamento do parque de rodeios.

“Pensei em trazer esse tipo de ideia para a minha música. Procurei deixá-la convidativa, contando a história do nosso rodeio de integração, realçando a nossa terra e acolhendo bem os nossos visitantes, e daí saiu então o refrão: ‘Irati te recebe parceiro, com hospitalidade e orgulho, vem pra cá festejar com a gente, o dia 15 de julho’ ”.

Autor tem sólida formação musical

Mesmo jovem, o iratiense Gilson Rocha tem amplo contato com o meio musical e sólida formação nesta área. É formado em Música pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e pós-graduado em Novas Tecnologias Educacionais (FACEL). Cursou Canto Lírico no Conservatório Dramático Musical Maestro Paulino Martins Alves.

Além dos estudos formais, participou de vários outros cursos e experiências musicais diferenciadas, com profissionais da área. Há algum tempo percebeu o gosto pela composição e pela interpretação, e assegura que se tudo der certo, logo vem aí um trabalho autoral, que está em fase de pré-produção neste momento.

 

 

O Dia 15 de Julho

(Letra e música: Gilson Rocha)

 

A cidade está toda em festa

Nosso povo espera ansioso

Bota a pilcha, encilha o cavalo

Oigaletê, tem rodeio de novo

 

Num estilo campeiro, sem luxo

E água quente pr’um bom chimarrão

Vou dançar um bugio bem marcado

Com a prenda mais linda do meu rincão

 

Irati te recebe parceiro

Com hospitalidade e orgulho

Vem pra cá festejar com a gente

O dia quinze de julho

 

Vem ouvir um violão e uma gaita

Com os cantores e declamadores

No tablado a prenda sarandeia

E o peão dança morrendo de amores

 

Lá na cancha tem as gineteadas

E as provas de tiro de laço

Na porteira a gauchada amiga

Feliz te recebe num fraterno abraço

 

Irati te recebe parceiro

Com hospitalidade e orgulho

Vem pra cá festejar com a gente

O dia quinze de julho

 

***

 

Expressões gauchescas

 

Pilcha: indumentária tradicional da cultura gaúcha, utilizada por homens e mulheres de todas as idades. No Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e Paraná, é considerada por lei, traje de honra.

Oigaletê: exprime admiração, euforia, alegria, comemoração. Equivale a “que maravilha”.

Bugio: estilo musical brasileiro, de compasso binário, originário do estado do Rio Grande do Sul. É o ritmo empregado nesta composição.

Prenda: mulher que, pelas tradições gaúchas, faz par com o peão.

Rincão: área de campo, recanto, local onde se reside e vive.

Sarandeia: movimento do corpo na dança, meneio, balanço.

Peão: homem que, pelas tradições gaúchas, faz par com a prenda.

Cancha: área plana, pista onde são realizadas as provas a cavalo.

Gineteadas: prova, competição envolvendo ginetes (bons cavaleiros).

Tiro de Laço: competição a cavalo característica do Rio Grande do Sul, onde o cavaleiro procura laçar um novilho que tenta fugir.

 

 

Abaixo, a entrevista completa com o autor, Gilson Rocha

 

SECOM - Como surgiu a ideia de compor uma música que abordasse o aniversário de Irati e o rodeio de integração? Por que motivo resolveu prestar esta homenagem?

GR - A ideia surgiu no mês de maio do ano passado, quando percebi a movimentação e os preparativos para a realização do rodeio na cidade. Pensei então em fazer uma música que falasse do nosso município de forma poética e regional, e nada melhor para isso que a música gaúcha. Daí a ideia de um bugio.

Mas confesso que a fiz sem nenhuma pretensão, e não esperava ter toda essa repercussão positiva e a receptividade das pessoas. Alguns amigos me disseram que a música já ficará como um legado para o nosso município, e confesso que estou muitíssimo feliz em ter uma composição minha fazendo parte da playlist campeira dos iratienses.

Para mim, isto significa que não somente a nossa cidade foi homenageada pela minha canção “O Dia 15 de Julho”, mas também meus amigos que me dão o prestígio de gostarem da minha música, assim homenageiam a nossa amizade.

Acredito que nosso povo iratiense merece sempre o melhor, então procuro fazer o meu melhor para nossa cidade de Irati, em forma de música.

 

SECOM - Como foi o processo de criação? Você trabalhou a letra embasado em quais inspirações?

GR - Em maio do ano passado, enquanto me dirigia ao centro da cidade, comentávamos, minha mãe e eu, sobre o rodeio e seus preparativos, então em meio à conversa, pronunciei a frase: “A cidade (desde já) está toda em festa, ” para o rodeio. Bom, o restante da letra veio aos poucos, depois fui lapidando, e pouco antes do rodeio de 2017 resolvi gravá-la.

Uma vez eu ouvia uma música em Triunfo (RS), enquanto participava do Festival Nacional de Arte e Tradição (FENART/MTG-RS), a música tinha a seguinte letra: “Vem, vem, vem, vem pra Triunfo em janeiro, que a terra natal de Bento te recebe companheiro...” Me sentia muito acolhido ao escutá-la todos os dias quando acordava dentro do acampamento do parque de rodeios.

Pensei em trazer esse tipo de ideia para a música, procurei deixa-la convidativa contando a história do nosso rodeio de integração, realçando a nossa terra e acolhendo bem os nossos visitantes, saiu então o refrão: “Irati te recebe parceiro, com hospitalidade e orgulho, vem pra cá festejar com a gente, o dia 15 de Julho”.

 

SECOM - Qual a sua ligação com a cultura tradicionalista gaúcha?

GR - Participo há muitos anos do tradicionalismo gaúcho, já dancei muito bailão, tomei muito chimarrão e toquei muito violão! Acompanhei muitos grupos de dança por todo o Sul e também no Estado de São Paulo.

Nos últimos dois anos, atuei como Diretor Musical do Movimento Tradicionalista Gaúcho do Paraná (MTG-PR). Por sorte, conquistei também muitos troféus ao longo desses anos de festivais, e o mais importante, muitas amizades.

 

SECOM - Por favor, faça um pequeno resumo da sua formação e participação no universo musical.

GR - Sou formado em Música pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e pós-graduado em Novas Tecnologias Educacionais (FACEL). Também cursei Canto Lírico no Conservatório Dramático Musical Maestro Paulino Martins Alves.

Mas fora os meus estudos formais, tive a alegria e a satisfação de fazer muitos outros cursos e ter muitas experiências musicais diferenciadas, com bons profissionais da área.

Agora, há pouco tempo, percebi mais meu gosto pela composição e pela interpretação, e tenho a alegria de dizer que se tudo der certo, logo vem aí um trabalho autoral, que está em fase de pré-produção neste momento.

Desenvolvido por: